“Bolsa de Valores é cassino!” “Quem investe em ações é muito agressivo!” “Conheço gente que perdeu tudo e mais mais um pouco investindo na Bolsa de Valores!”

Com certeza você já ouviu algum dos três comentários acima sobre o mercado de ações. Para entender melhor sobre o assunto, vamos a definição de ações:

“As ações constituem-se em títulos representativos da menor fração do capital social de uma empresa (sociedade anônima, sociedade por ações ou companhia). O acionista não é um co-proprietário com direito a participação em seus resultados.” (Neto, Alexandre, Mercado Financeiro, 2006, p.139).

 As empresas tem algumas formas de captar recursos para financiar seus investimentos, como recorrer a empréstimos bancários, emissão de debêntures e a oferta pública de ações. Das opções citadas, a única que não gera custo com pagamento de juros é a oferta pública de ações, pois nesse caso a empresa aquiri novos sócios investidores que acreditam no potencial da empresa e assumem o risco de investir na empresa para participar de seu crescimento. Dessa forma ao invés de credores a empresa adquiri novos sócios, novos donos, que apartir do momento da compra das ações, passam a ter direito aos lucros da empresa e bonificações como retorno do investimento, além de ganhar com a valorização das ações de acordo com o crescimento da companhia.

As ações são negociadas na BMF&BOVESPA que é a principal instituição brasileira de intermediação para operações do mercado de capitais. É também a responsável por desenvolver, implantar e prover sistemas para a negociação de ações, títulos de renda fixa, entre outros. Para ter acesso a esse mercado é necessário estar cadastrado em uma sociedade corretora ou distribuidora de valores mobiliários.

Muita gente vê a Bolsa de Valores como um cassino, pois não entende seu funcionamento e deconhece a impotância que tem o mercado de ações para economia e para o crescimento do país. Não é atoa que todos os países desenvolvidos tem um mercado acionário forte e desenvolvido. Costumo brincar com meus alunos e clientes que mesmo para quem encara a Bolsa como um cassino, ela é bom negócio. Por quê? As ações só sobem ou descem de preço, portanto, quem investe na Bolsa tem 50% de chance de ganhar. Qual o cassino que você conhece que te dá uma probabilidade tão alta de ganhar? Mesmo encarando esse investimento como cassino, não é bom negócio?

Vamos então entender o motivo pelo qual inventaram o mercado de ações e sua importância para todos nós. Investindo no mercado de ações, ou seja, comprando ações de uma determinada empresa no mercado primário, o investidor está financiando o crescimento da empresa, esta por sua vez vai investir no país ( contruindo novas fábricas, abrindo novas lojas) gerando crescimento e  renda. Com emprego e aumento de renda é possível  poupar e consumir mais nas empresas gerando mais lucro para ela, que por sua vez cresce mais e distribui mais dividendos remunerando cada vez mais o capital do acionista da empresa, se tornando um ciclo virtuoso. Esse ciclo virtuoso gerado pelo mercado de ações é importante para o crescimento da economia de um país.

Para entendermos esse movimento, basta comparar o crescimento do Brasil nos últimos anos com o quadro de rentabilidade abaixo nos anos de 2000 até 2010.

rentabilidade ações

(*) De Dez/2000 à Dez/2010

Fonte: Palestra – Desmistificando a Bolsa de Valores

“Atualmente, com a estabilidade econômica, o investidor mudou a sua maneira de pensar. Antes o grande desafio era defender o dinheiro da inflação, atualmente é alcançar ganhos por meios de investimentos. Comprar ações é uma forma de torna-se sócio de uma empresa; portanto, é um empreendimento e, como todo negócio, não é algo que se entre hoje para sair amanhã. Investir no mercado acionário pode ser encarado como algo para formação de patrimônio, uma poupança de longo prazo, porém melhor remunerada.” (Rassier, Leandro, Apostila Finanças Pessoais, 2011 p.55)

“Ahhh mas você está mostrando só o lado bom! E as ações que caíram 30%, 40%…?” Vamos lá! Não vou entrar em detalhes agora para não alongar muito mais o artigo, mas existe uma operação na Bolsa de Valores chamado BTC ou aluguel de ações em que se ganha com a queda das ações. Na crise ecônomica mais recente em 2008, a BMF&BOVESPA fechou um ano com rentabilidade negativa de -41,22%. Você acha mesmo que todo mundo que investiu na Bolsa em 2008 perdeu dinheiro? Se alguém perdeu, alguém tem que ter ganho, concorda?  Parece complicado de inicio, mas é uma operação bem simples que vamos explorar melhor outro dia.

É sempre bom lembrar de que rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras e de que como em qualquer outro négocio, não existem garantias. Existem duas escolas de análise para escolher as empresas antes de investir: análise fundamentalista e análise gráfica ou técnica. A análise fundamentalista  diz o que comprar e o que vender, já a análise gráfica ou técnica diz quando compra ou vender.

A análise fundamentalista é uma ferramenta para médio e longo prazo que análisa a situação financeira da empresa e toda e qualquer informação que diga respeito a ela, buscando descobrir se o preço que está sendo pago pela ação é o preço justo. O investidor fundamentalista não se preocupa com as variações de preço da ação no curto prazo e no caso do preços da ação cair, ele compra mais e só as vende quando as pespectivas sobre o futuro da empresa pioram.

A análise gráfica é um estudo que busca uma projeção futura do comportamento da ação, através de gráficos de comportamentos passados do ativo, pois acredita que esses comportamentos são cíclicos. Através dos gráficos é possível visualizar se a massa compradora está maior que a vendedora ou o contrário, indicando que a ação está em tendência de alta ou baixa. É uma análise mais imediatista, pois observa oportunidades de curto prazo.

Existem dois tipos de ação: ordinária (ON) e preferencial (PN). Sendo a ação ON a ação que dá ao acionista o direito a voto nas assembléias da empresa e a PN a ação que dá direito ao acionista de receber uma fatia maior e primeiro os divendendos, já que não tem o direito de tomar decisões sobre o futuro da empresa. Há algumas empresas que tem apenas ações ON, nesse caso todos os acionistas tem mesmos direitos.

Espero que com esse artigo eu tenha consiguido fazer  você entender o real sentido da Bolsa de Valores e que você possa me ajudar a desmitificar esse investimento.

Assim como em qualquer outro investimento, antes de investir em ações procure mais informações e ajuda de um especialista, pois trata-se de um investimento com risco, mas que se bem orientado e com conhecimento o suficiente para a tomada de decisão, pode ser um excelente ativo para turbinar a rentabilidade no longo prazo e para diversificação na carteira de investimentos para aposentadoria também.

Referências:

  •   Mercado Financeiro – Alexandre Neto
  •  Palestra – Desmistificando a Bolsa de Valores
  • Apostila Finanças Pessoais 2011- Leandro Rassier
  •  http://www.bmfbovespa.com.br/indices/ResumoVariacaoAnual.aspx?Indice=ibovespa&idioma=pt-br
maxlindercampos
Written by maxlindercampos
Profissional CFP®, Administrador, MBA em Finanças, SUSEP, CPA-20, CEA-ANBIMA, PQO-BMF&Bovespa, Educador Financeiro, Empreendedor e aficionado por novos conhecimento.

Leave a Comment